EMPRESA

 

                                                                                                                                                                                   
 
  • MISSÃO

 A Dikat Tires Indústria, responsável pela produção dos pneus ecológicos Tyrex, tem como Missão produzir um produto de máxima qualidade, visando a satisfação do nosso cliente final, com total responsabilidade com a sociedade e, principalmente, com o meio ambiente, sendo uma referência no mercado pneumático sustentavel em todo o território nacional. 

 

  •    EMPRESA

 

 

A Dikat Tires produz pneus ecológicos, com a marca TYREX, há mais de dez anos, no Rio Grande do Sul. Sendo a única fábrica a possuir a certificação do INMETRO no Estado, para tal produto, o pneu ecológico Tyrex é conhecido em todo o Estado por sua qualidade, durabilidade e compromisso com os clientes.

 

 

 

A produção do nosso produto ecológico tem como matéria-prima principal o pneu usado, que não possui mais as características de rodagem necessárias para dar segurança ao veículo. Após varias etapas de produção (conheça as estapas abaixo) surgirá de um “PNEU USADO”, um "PNEU ECOLÓGICO" ou, como também é conhecido, "PNEU REMOLD", agora, praticamente novo, com todas as características necessárias para proporcionar novamente segurança, e exercer sua função em um veículo com uma alta durabilidade, porém, com um impacto ambiental menor, e com diversas economias naturais para o meio ambiente e para o consumidor final, que é o nosso principal foco.

 

 

 

 

  • COMO É FEITO O PNEU "ECOLÓGICO", OU "REMOLD"?

 

 1ª ETAPA 

 

         

 

A primeira etapa é a coleta dos pneus usados e classificação para análise.    

 

 

2ª ETAPA

 

 

 

A segunda etapa é a análise do pneu, verificando as condições da sua estrutura externa, se está de acordo com os requesitos para a produção.

 

 

3ª ETAPA

 

 

A terceira etapa continua o processo de análise. Agora, cada pneu, aprovado pela segunda etapa, vai ser inflado à uma pressão mínima de 60 lbs/pol² (o pneu, no seu carro utiliza em media 30 lbs/pol²). Esta alta pressão é para verificar se a estrutura interna está perfeita para produção.

Após este procedimento, o "pneu usado" (já classificado, analisado e aprovado) vai ser encaminhado ao estoque para aguardar a próxima etapa.

 

 

4ª  ETAPA

 

 

Na quarta etapa, o pneu vai ser inflado novamente à uma pressão de 50 lbs/pol², para ser raspado através do maquinário acima. Assim, todas as impurezas, adquiridas durante a sua vida passada, serão retiradas através de serras e carbaides e, o pneu usado, vai se transformar em uma carcaça crua, com a circunferência certa para receber os novos componentes de borracha e novas informações de fabricação

 

 

5ª ETAPA

 

 

Após a raspagem, a carcaça vai passar por um processo de limpeza de talão, que é a parte que fica em contato com a roda, e possui muitas impurezas, que precisão ser retiradas, para a nova borracha ter aderência e ser vulcanizada naquela região.

 

 

6ª ETAPA

 

 

Na sexta etapa, a carcaça vai passar por uma nova revisão, onde sua estrutura vai ser avaliada e qualquer impureza, que tenha ficado da raspa, vai ser retirada.

Este processo se chama "escareação" e é o último, antes da carcaça começar a receber seus novos componentes de borracha e, por isso, muito importante. Qualquer avaria na estrutura, que prejudique a segurança e o processo final da carcaça, tornará ela um produto não conforme, e será encaminhada para detruição.

 

 

7ª ETAPA

 

 

Já na sétima etapa, a carcaça passa pelo processo de pintura, onde recebe, através de uma pistola, uma fina camada de borracha crua, diluída em solvente, que deve ficar em repouso por, no mínimo, 20 minutos. Após este tempo, essa camada vai dar ligação para o próximo componente de borracha.

 

 

8ª ETAPA

 

 

A oitava etapa é onde a carcaça vai ser inflada, novamente a 50 lbs/pol², e receberá o camelback, o componente de borracha que vai ser a nova banda de rodagem, após o processo de vulcanização. Essa máquina acima vai roletar o camelback, retirando todo o ar entre a camada fina de borracha, que foi aplicada na etapa anterior, e o novo componente, proporcionando uma ligação total entre eles. 

 

 

9ª ETAPA

 

 

Agora estamos no último processo relacionado aos componentes de borracha simples, mas importante. Nessa etapa, a carcaça vai receber o anti-quebra, onde, após a vulcanização, irão constar todas as novas informações de fabricação, como o DOT, largura, altura, selo do Inmetro, CNPJ, índice de carga, velocidade, entre outros. Essa parte será a nova lateral do pneu.

 

 

10ª ETAPA

 

   

 

A décima etapa é o processo onde a carcaça vai ser vulcanizada dentro de uma prensa, com um molde dividido em 6 partes, que irão estampar a nova banda de rodagem e lateral do pneu, à uma temperatura mínima de 150º C, e uma pressão de 200 lbs/pol², durante um tempo médio de 23 minutos, transformando a carcaça em um pneu novo e ecológico.

 

 

11ª ETAPA

 

 

Agora, o pneu ecológico, já vulcanizado, vai passar pelo processo de rebarba, onde vai ser retirada toda sobra de borracha.

 

 

12ª ETAPA

 

 

A última etapa, antes do pneu estar pronto para venda, é a inspeção.

Após a produção, cada pneu é revisado e inflado, novamente, à 60 lbs/pol², para verificar se a sua estrutura externa e interna está conforme para a venda. É um processo muito parecido com o feito na 2ª etapa. Se o pneu for aprovado, é encaminho para o estoque de pneus ecológicos e estará pronto para a venda ao consumidor final, ou revendedores.

 

 

 

(Produto pronto para venda)

 

Obrigado por conhecer o nosso trabalho, a reciclagem é o futuro do mundo!